Qual o tipo de mochila ideal para o seu cliente?

19/04/2016 12:10

 

Existem diversos tipos de mochilas e cada uma para a sua devida finalidade. Veja algumas dicas para o uso de cada uma delas:

 

Na escola

Segundo o Instituto Nacional de Tráumato-Ortopedia (Into), órgão ligado ao Ministério da Saúde, crianças que carregam mochilas muito pesadas correm o risco de sentir dores nas costas, desenvolver postura incorreta e apresentar desvios na coluna vertebral. Esta é uma grande preocupação para os pais, já que com a quantidade de livros, é importante que o peso seja bem divido e evitar ao máximo levar material que não será utilizado no dia. O ideal é que as mochilas com rodinhas sejam utilizadas no começo da fase escolar das crianças. Mas se elas preferirem carregar nas costas, não deixe que ele carregue mais de 10% do seu peso. Por exemplo: uma criança com 40 quilos, deve carregar no máximo uma mochila escolar com 4 quilos.

 

No trabalho

 

Carregar muitos papeis, além dos pertences pessoais pode deixar a sua mochila para o trabalho mais pesada do que você pensa. Muitas vezes, as mochilas também levam o material da faculdade, principalmente quando a pessoa precisa se deslocar diretamente para a graduação. Existem mochilas com rodinhas para qualquer tipo de pessoa, não é mais uma exclusividade das crianças.

 

Na aventura

 

Gosta de andar de bicicleta, fazer trilhas ou mesmo passear em meio a natureza de final de semana?

Prefira as mochilas mais leves, onde possa levar apenas o que é essencial para aproveitar  o seu dia como um squeeze, alimentos e alguma outra roupa leve. Mochilas transversais são excelentes para este tipo de prática, já que são fáceis de carregar e com compartimentos para todos os seus objetos.

 

Se você tem uma empresa no setor escolar, atende escritórios ou até mesmo no ramo de aventura, as mochilas podem sem uma ótima maneira de divulgar a sua marca. Presenteie os seus clientes com o tipo de mochila que mais se adequa ao seu ramo, pois assim, poderá prospectar novos clientes e fidelizar os já conquistados.